Professora de escola católica fez sexo com alunos mais de 150 vezes

Uma professora de Sociologia de um colégio católico em Harrisburg, no estado norte-americano da Pennsylvania, está sendo acusada de mais de 200 crimes sexuais com dois alunos, cujas idades não foram reveladas. Randi Lynn Zurenko, de 33 anos, enfrenta 153 acusações de abuso sexual de crianças, 13 de abuso institucional, 33 de contato impróprio com menores, 20 de envio de material audiovisual obsceno a menor e 13 de corrupção de menores.

Uma das vítimas é uma garota. A mulher é casada e tem três filhos. A docente, que lecionava no Colégio Bichop McDevitt, começava abordando os alunos nas aulas. Depois de ter a confiança dos menores, enviava-lhes selfies nua e tentava marcar encontros sexuais. Os alunos confessaram ter feito sexo com a professora “muitas vezes” num parque próximo da escola, no carro da professora, na casa desta e até na praia.

As autoridades encontraram várias fotografias da professora em atos sexuais com os alunos, assim como dos menores nus, no celular dela. Durante o primeiro interrogatório, Randi Zurenko confessou ter tirado as fotografias. Os abusos da primeira vítima começaram em 2013 e só terão terminado quando a criança saiu do colégio. Já a segunda vítima foi abusada desde o início de 2015 até à semana passada, quando o caso foi denunciado.

“Fomos informados de uma investigação policial no âmbito de um caso de relação imprópria de uma professora com alunos no ano passado dia 18 de outubro. Seguindo a política da diocese de Harrisburg, a docente em questão, a Sr.ª Zurenko, foi imediatamente suspensa e assim continuará enquanto decorrerem as investigações”, disse a direção do colégio católico em comunicado.