Mulher passou 17 anos sem saber que possuía uma deficiência visual

A irlandesa Caroline Casey só descobriu que possuía uma doença genética chamada albinismo ocular quando acompanhou sua irmã mais nova num oftalmologista.

Ao saber que a filha havia nascido com a doença, os pais de Caroline decidiram não contar a ela sobre a deficiência, e fizeram com ela vivesse até os dezessete anos acreditando que ela enxergava o mundo ao seu redor da mesma maneira que qualquer outra pessoa.

Do ponto de vista de Caroline, tudo que fica a mais de 60 centímetros de distância fica embaçado, sendo impossível que ela diferencie o rosto de pessoas ou objetos mais distantes. Durante a escola, ela acreditava que era apenas desajeitada e não tinha noção que era legalmente considerada “cega”.

Atualmente Caroline Casey é uma ativista e consultora de gerenciamentos, realizando palestras motivacionais sobre como superar seus limites.