Justiça permite que médicos operem câncer de mulher contra a vontade dela

A decisão foi tomada após uma audiência decidir que a mulher não tinha condições mentais de decidir qual seria a melhor decisão para si mesma.

A mulher de 60 anos, cuja identidade foi preservada, foi diagnosticada com esquizofrenia paranóide e não aceitava que possuía câncer de mama.

De acordo com ela, o que ela possui é apenas um cisto, e os médicos que querem a tratar são atores ou impostores.

O hospital não informou quando a mulher irá iniciar o tratamento contra o câncer.