11 Out 2017

Um homem italiano de 59 anos identificado como A.T. havia sido condenado à prisão perpétua no ano passado por ter apunhalado até a morte seu filho de 19 anos, mas conseguiu recorrer da sentença.

De acordo com a polícia, A.T. tentou matar sua ex-mulher, mas foi impedido pelo filho, que acabou morrendo devido aos ferimentos.

Na semana passada, o acusado recorreu da sentença pois o filho era adotivo, o que fez com que sua pena fosse reduzida para dezesseis anos de prisão. O assassinato de um parente de sangue era o principal agravante para a pena perpétua de A.T.

A decisão começou uma discussão no país, onde os italianos começaram a se era correto filhos adotivos terem menos direitos que filhos de sangue.

Um novo julgamento irá acontecer para decidir qual será a penalidade aplicada ao acusado.

Veja mais posts