Filho do Presidente escolhe logotipo do Governo Federal e deixa 5 estados do norte de fora

O logotipo do governo de Michel Temer mal foi lançado e já virou alvo de polêmica. A marca, escolhida por Michelzinho, o filho de 7 anos do presidente em exercício, se baseia em uma versão desatualizada da bandeira do Brasil, que vigorou entre 1960 a 1968. No logotipo, a esfera que flutua em cima da palavra “Brasil” tem apenas 22 estrelas, quantidade que aparecia na bandeira durante parte da Quarta República (1946-1964) e da ditadura militar (1964-1985).

A versão atual tem 27 estrelas, que representam todos os Estados e o Distrito Federal. A descoberta do uso da bandeira antiga foi publicada pelo jornal ‘Folha de S. Paulo’. 

Na esfera da gestão Temer, não estão simbolizados o Acre, que passou a aparecer a partir de 1968, e os Estados Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins, que só entraram na versão de 1992. Nessa última mudança, a estrela que representava o extinto Estado da Guanabara passou a simbolizar o Mato Grosso do Sul.

Logotipo do governo Temer foi apresentado na quinta-feira passada.