Ex-integrante de Pussycat Dolls revela que banda era fachada para círculo de prostituição

Kaya Jones, ex Pussycat Dolls, afirmou que a banda funcionava como um círculo de prostituição, com integrantes forçadas a fazer sexo com executivos do meio de entretenimento.

A cantora, de 33 anos, fez acusações reveladoras em uma serie de tweets no último sábado e domingo, acusando produtores e executivos de tirar vantagem do grupo, qual ela entrou quando era apenas uma adolescente, em 2003.

“Minha verdade. Eu não estava em uma banda de garotas. Estava um círculo de prostituição. Ah, por acaso nos cantávamos e éramos famosas, enquanto nossos produtores ficavam ricos as nossas custas”. Disse Kaya.

A fundadora das Pussycat Dolls, Robin Antin, acusou Jones de mentirosa, “são penas mentiras ridículas e nojentas”. E afirmou que Kaya está apenas procurando por seus 15 minutos extras de fama.