Diretor de presídio comandava motel e drogas dentro da prisão

Uma operação do Ministério Público de Goiás prendeu 11 pessoas, incluindo agentes prisionais, por suposto esquema de propina e de regalia a detentos no presídio de Anápolis.

Eles são acusados de escoltar presos até agências bancárias para sacar propina em troca de liberar o acesso a drogas, garotas de programa, boates e celulares.

O diretor da prisão recebia bilhetes com pedidos para saídas irregulares de detentos em troca de pagamento de propina. Os presos pagavam R$ 1.000 por celular e R$ 30 por latinha de cerveja.