Conheça as 8 regras entre os presos que você não conhecia

1 – Estupradores

Os presos que são acusados de estupro, agressões contra mulheres, idosos e crianças já entram na cadeia sabendo que serão os primeiros a morrer durante uma rebelião. As vezes nem é preciso existir uma rebelião, eles simplesmente aparecem mortos.

2 – Eles fazem seus próprios julgamentos

Um exemplo é o sistema prisional do Piauí, onde os presos (…) 

1 – Estupradores

Os presos que são acusados de estupro, agressões contra mulheres, idosos e crianças já entram na cadeia sabendo que serão os primeiros a morrer durante uma rebelião. As vezes nem é preciso existir uma rebelião, eles simplesmente aparecem mortos.

2 – Eles fazem seus próprios julgamentos

Um exemplo é o sistema prisional do Piauí, onde os presos

criaram um código de conduta próprio para colocar ordem nos presídios, podendo haver até a pena de morte. Eles fazem reuniões noturnas que são liderados por facções que existem dentro dos presídios, e ao saberem que determinado preso cometeu um delito, fazem um julgamento na calada da noite por meios de cartas e códigos que condenam ou não o preso a morte.

3 – O crime que cometeram

Alguns crimes, como o caso de estupro, podem ter sérias consequências dentro de uma cadeia. Mas não são apenas os crimes mais graves que recebem punições, os presos dizem que para roubar e ser preso tem que ser roubo grande. Quando alguém é preso por furto de celular, por exemplo, eles acabam tomando uma surra, porque dizem que celular se tornou um artigo fácil de adquirir.

4 – X9

Como vocês todos devem saber, X9 é o famoso “cagueta”, dedo duro, a pessoa que entrega seus colegas. E assim como ocorre nas favelas, os presidiários matam todos aqueles que são considerados X9, pois o ato de entregar alguém é imperdoável para os criminosos.

5 – Presos endividados

Vamos tomar como exemplo um acontecimento no Complexo do Curado, em Pernambuco. Ficar endividado na cadeia não é uma boa ideia, e prova disso foi um homossexual que sofreu estupro coletivo numa cela de isolamento com mais de 30 detentos. A acusação, segundo os presos, era o fato de que a vítima devia R$ 15 a um outro preso, e por causa do estupro, a vítima contraiu Aids. É, se aqui fora as pessoas estão matando por causa de dinheiro, imaginem dentro da cadeia.

6 – A hora de dormir

Devido a super lotação dentro das cadeias, não existe um colchão para cada preso dormir e eles acabam dividindo as horas de sono. São feitos revesamentos, um preso dorme por tantas horas, até que chegar a hora de outro, e assim por diante. Devido a várias pessoas usarem o mesmo colchão, doenças como o pano branco (também conhecida como micose de praia, é uma doença comum de pele causada por um fungo) são comuns dentro dos presídios.

7 – As gangues não se misturam

E mesmo que exista uma união das facções contra os carcereiros, na verdade lá dentro eles não se misturam. Eles se separam ou por tipos de crimes cometidos e principalmente por facções. Aquela coisa que nós vemos nos filmes americanos onde negros, brancos e latinos não se misturam também acontece aqui no Brasil, só que separado por facções.

8 – Existe uma hierarquia

Quanto mais tempo uma pessoa está na prisão, mais respeito ela tem. É como se fosse um respeito por idosos, que tem privilégios como não pegar fila ou um banco reservado no ônibus. Os novatos que chegam na prisão geralmente são estuprados, e quem já está lá a muito tempo tem um grande respeito dos outros presos.