Autoridades desconfiam que casal encontrado em hotel fez pacto de morte

Um casal de jovens namorados foram encontrados mortos a tiro em uma das suítes do hotel de luxo Maksoud Plaza em São Paulo. Eles podem ter feito um pacto de morte, conforme suspeita a polícia paulista após a coleta de indícios no quarto.

“Pelo que foi encontrado no local, tudo leva a crer que existiu um pacto de morte”, adiantou a jornalistas o delegado Gilmar Pasquini Contrera, que comanda as investigações do caso.

Ele baseia essa linha de investigação principalmente em cadernos e folhas recolhidos na suíte e aparentemente escritos pelos dois jovens. Luís Fernando Hauy Kafrune, de 19 anos, e a namorada, Kaena Novaes Maciel, de 18, foram encontrados já sem vida na cama da suíte que tinham alugado sábado no luxuoso hotel. De acordo com o delegado, tudo leva a crer que Luís matou Kaena e depois se suicidou, utilizando uma pistola automática furtada do padrasto da jovem.

Por toda a suíte, a polícia encontrou espalhados diários, agendas e papéis pertencentes ao casal com referências a suicídio. Também foram encontrados textos sobre “como aproveitar a morte”. Os dois jovens tinham namorado, separaram-se e, há pouco tempo, decidiram reatar.

Sábado, sairam dizendo às respectivas famílias que iam passear em um shopping mas foram para o hotel e não fizeram mais qualquer contato. Domingo, depois do prolongado silêncio da jovem, a família rastreou o celular dela e descobriu sua localização no hotel.

A polícia foi até lá, entrou na suíte e encontrou os dois jovens já sem vida, mortos a tiros. Estranhamente, ninguém, funcionários ou hóspedes do hotel, parecem ter ouvido os disparos.